sexta-feira, 16 de janeiro de 2015


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Cláudia Davis

“Desenvolvimento cognitivo e aprendizagem não se confundem: o primeiro é um
processo espontâneo que se apóia no biológico. Aprendizagem, por outro lado, é
encarada como um processo mais restrito, causado por situações específicas (como
freqüência à escola) e subordinado tanto à equilibração quanto à maturação.”
Cláudia Davis

Perrenoud



Philippe Perrenoud
Dez Novas Competências para Ensinar

1. Organizar e dirigir situações de aprendizagem

·         

2. Administrar a progressão das aprendizagens

·         

3. Conceber e fazer evoluir os dispositivos de diferenciação

·         

4. Envolver os alunos em suas aprendizagens e em seu trabalho

·         

5. Trabalhar em equipe

·         

6. Participar da administração da escola

·        

7. Informar e envolver os pais

·       

8. Utilizar novas tecnologias

·         

9. Enfrentar os deveres e os dilemas éticos da profissão

·      

10. Administrar sua própria formação continua

·        

Piaget

Segundo Piaget, a busca do equilíbrio (ou adaptação com seu meio) é uma característica essencial do ser humano. Para ele, o “desenvolvimento cognitivo ocorre através de constantes desequilíbrios e equilibrações. O aparecimento de uma nova possibilidade orgânica no indivíduo ou a mudança de alguma característica do meio ambiente, por mínima que seja, provoca a ruptura do estado de repouso, da harmonia entre organismos e meta – causando um desequilíbrio”. (Davis, p. 38).

Rousseau

―A natureza, dizem-nos, é apenas o hábito. Que significa isso? Não há hábitos que só se adquirem pela força e não sufocam nunca anatureza? É o caso, por exemplo, do hábito das plantas, cuja direção vertical se perturba. Em se lhe devolvendo a liberdade, a planta conserva a inclinação que a obrigaram a tomar; mas a seiva não muda, com isto,sua direção primitiva; e se a planta continuar a vegetar, seu prolongamento voltará a ser vertical. O mesmo acontece com os homens‖.
(Rousseau)